InícioPercursos PedestresPonte da Misarela, onde o diabo anda à solta

Ponte da Misarela, onde o diabo anda à solta

Percursos PedestresPonte da Misarela, onde o diabo anda à solta

|

|

|

Chegámos à ponte, à Ponte da Misarela

Aqui o diabo anda mesmo à solta, fazem-se mezinhas e rezam-se quebrantos.

Depois de Pitões das Junias, descendo em direção ao Cávado, o rio Rabagão corre livre, sulcando rochas e falésias, deixando atrás de si um rasto de lagoas profundas e cascatas íngremes.

O Norte do país é, todo ele, extremamente rico em lendas e estórias de encantar, diabos, feiticeiras e almas penadas.

Mas a Ponte da Misarela, eternizada na voz de Sebastião Antunes (Quadrilha) é um dos lugares mais fascinantes e com uma das lendas mais deliciosas.

Ponte da Misarela-1

Como era costume nos tempos idos, qualquer obra que extravasasse as normais capacidades humanas era obra do diabo. A velha Ponte da Misarela não escapou a esse destino, e a sua construção estará irremediavelmente ligada a um homem que entrega a sua alma a Belzebu. E não admira que lhe chamem ponte do diabo, a julgar pelas escarpas que ladeiam a ponte e sobre as quais a mesma se encontra edificada.

Debaixo desta ponte com poderes mágico, conta-se, sempre foram comuns práticas ancestrais ligadas à fertilidade.

Ponte da Misarela
Ponte da Misarela, onde o diabo anda à solta

A pouco e pouco, as populações começaram a atribuir carácter sagrado à Ponte da Misarela. Mandava a tradição que quando uma mulher não levava os filhos a cabo – ou seja, quando algo ia mal na gravidez -, se dirigisse à Ponte e debaixo dela pernoitasse, na expectativa de ajuda celeste para o seu problema.  No dia seguinte, a primeira pessoa que atravessasse a Ponte teria que ser padrinho ou madrinha da criança, à qual seria posto o nome de Gervásio, se rapaz viesse ao mundo, ou de Senhorinha, se de rapariga se tratasse. (ver lenda completa)

A lenda é lenda e a realidade por muito que se esforce não lhes chega aos calcanhares.

Esta ponte romano-medieval, situada em Ruivães, foi também palco de um combate entre as tropas francesas de Soult que retiravam do Porto, no final da II Invasão Francesa e milicianos locais que lhes procuravam tolher a passagem, em Abril de 1809.

Mais Informação sobre a Ponte da Misarela

Localização: Ruivães (concelho de Montalegre) consultar mapa

Informações sobre a Lenda em Lendarium e na página oficial do Município de Montalegre

Percurso Pedestre: Ponte da Misarela – Entre Cávado e Rabagão“, veja também os relatos de outros caminheiros (Cabras do Gerês e Pegada e Bota)

 

 

“Ponte da Misarela” Quadrilha

os meus trilhos
os meus trilhoshttps://osmeustrilhos.pt
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

7 COMENTÁRIOS

    • Bruno, mais uma vez, obrigado pela visita. Em junho há uma caminhada que passa pela ponte e em julho há festa na Misarela. Acho que é a reunião anual dos Gervásios e das Senhorinhas 🙂 Nós devemos andar por lá!!!

      Um abraço,
      Sérgio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

os meus trilhos
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

Must Read