InícioAmérica do SulBolíviaUm mar de sal no Salar de Uyuni

Um mar de sal no Salar de Uyuni

América do SulBolíviaUm mar de sal no Salar de Uyuni

|

|

|

Está um sol maravilhoso, mas um frio de rachar. o Jipe deixa um rasto de poeira atrás de si e em poucos quilómetros, estávamos já a entrar no Salar de Uyuni, na Bolívia.

Este é daqueles lugares que marcam a história dos viajantes e da viagem. Deve ser um dos lugares mais bonitos do mundo, pelo menos do nosso. O salar estava sem água, estamos na época seca. Não temos o famoso espelho do salar, como por aqui dizem, o maior espelho do mundo. Por outro lado, pudemos fazer centenas de quilómetros na sua crosta, sentir os hexágonos de sal a quebrar-se à nossa passagem. Sim, é lindo!

01 - Salar de Uyuni-Bolívia-1-2

A beleza ímpar do salar de Uyuni.

A 3.656 metros acima do nível médio do mar e com 10 mil quilómetros quadrados, o Salar de Uyuni é a maior planície de sal do mundo.

Este lugar é daqueles em que o branco fere a vista, de tão bonito que é…

A transformação de grandes lagos pré-históricos deram orígem ao Salar. Com a evaporação dos lagos, ficou apenas o sal que deu lugar este cenário magnífico.

O Salar possui uma profundidade de 120 metros composta de 11 camadas distintas. A crosta de sal que se encontra à superfície tem um nivelamento extraordinário, com  variação de altitude média de menos de um metro ao longo de toda a área do Salar.

os meus trilhos no salar

A crosta é uma extraordinária fonte de sal de cobre que contém 50 a 70% das reservas mundiais de lítio.

Mas desengane-se quem pensa que o salar é um lugar inóspito. Por aqui há muitas espécies endémicas, de roedores a aves. A mais conhecida é sem dúvida o flamingo cor-de – rosa, que vos apresentaremos na Laguna Colorada, daqui a pouco.

A área enorme, o céu claro e o nivelamento excepcional da superfície fazem do Salar o palco ideal para as famosas fotos e brincadeiras com perspectiva, nas quais passámos uma boa hora em posições estranhas e poses malucas.

01 - Salar de Uyuni-Bolívia-401 - Salar de Uyuni-Bolívia-3

Depois de almoço, rumámos ao coração do salar. Há por aqui uma “ilha”, que os povos quechua chamaram de “Isla Incahuasi” (a casa dos incas) que possui um ecossistema interessante.

01 - Salar de Uyuni-Bolívia-1

Apesar do seu aspeto hostil, onde há cactos gigantes que chegam quase a 20 metros, há por lá roedores e pássaros. Pois claro, bem adaptados a estas terras agrestes.

01 - Salar de Uyuni-Bolívia-2

Caminhamos lentamente pela ilha, casacos bem amarrados e com o sol a aquecer o cocuruto da cabeça. Vamos entre os cactos avistando ao longe os jipes que se aventuram pela branquidão do salar. Assusta-nos o nosso guia, o incansável Jimmy, dizendo que sozinhos, os turistas, se perdem na imensidão branca,  não conseguem fugir do mar de sal, que a alguns engole. Não nos convence, pois se os trilhos estão marcados no GPS, mas não seremos nós que arriscaremos enfrentar os lendas.

Há por aqui muitos fósseis marinhos. Resquícios dos tempos em que cá por cima havia água, muita água.

Uyuni - Cactos

Havia ainda muitos quilómetros pela frente. O alojamento ficava no outro extremo do salar, num lugar rústico e bastante básico. Paredes de sal, camas de sal, como tudo por estas bandas. Mas continuando.

Voltámos ao Jipe e preparámo-nos para muitos quilómetros a levantar sal! Entretanto o sol baixava rapidamente. Parámos no meio do nada, saímos e vimos a nossa sombra ser projectada até ao infinito. Dizem por aqui que esta é a sombra maior do mundo.

No horizonte, as cores quentes fundem-se com o sal gelado. As temperaturas descem e ainda temos muito caminho para trilhar. Juntamo-nos para a foto de família: nós os portugueses, o Sérgio (brasileiro) e uma família alemão (filha e pais).

O mundo é mesmo um lugar fantástico, não é?

Por do Sol - Slar de Uyuni_2

os meus trilhos
os meus trilhoshttps://osmeustrilhos.pt
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

os meus trilhos
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

Must Read