InícioPortugalAlto Douro VinhateiroConvento de Santo António de Ferreirim

Convento de Santo António de Ferreirim

PortugalAlto Douro VinhateiroConvento de Santo António de Ferreirim

|

|

|

Mesmo ao lado de Lamego, embalado pelos socalcos do Douro e encravado no vale de Ferreirim, encontra-se o Convento de Santo António de Ferreirim.

Erigido nos finais da Idade Média por iniciativa dos últimos condes de Marialva, cujo túmulo se encontra no interior da igreja, o convento é a par do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, e do Mosteiro de S. João de Tarouca, parte do projeto “Vale do Varosa”, desenvolvido sob a égide da Direção Regional de Cultura de Norte.

Enquanto o Convento de Santo António de Ferreirim pertenceu à Ordem Franciscana, os outros dois, o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e Mosteiro de S. João de Tarouca são dos mais importantes exemplares da Ordem Cisterciense em Portugal.

Apesar de não ser dos mais vistosos conventos do norte de Portugal, pela sua importância histórica, é sem dúvida um monumento a não perder se andar a explorar o Douro Vinhateiro.

Convento de Ferreirim
Fachada do Convento de Ferreirim (Lamego)

Breve descrição do Convento, retirado da Página Oficial do “Vale do Varosa”.

Mosteiro de Ferreirim
Interior da Capela do Convento de Ferreirim

“Integrando uma anterior torre fortificada possivelmente datada de século XIV, a fundação deste convento masculino franciscano inicia-se com a doação, em 1525, dos terrenos circundantes, por D. Francisco Coutinho, Conde de Marialva. Inicialmente de traça maioritariamente manuelina, da qual sobrevive parte do pórtico de entrada da igreja, foi sujeito a profundas reformulações no século XVII, das quais se destaca um claustro de gosto maneirista hoje desaparecido, e no século XVIII, em que se integra o geral aspeto atual da igreja. No que concerne ao seu espólio, destacam-se as oito tábuas pintadas, em 1533-1534, por Cristóvão de Figueiredo, Garcia Fernandes e Gregório Lopes, cuja notoriedade viria mais tarde a conferir a esta parceria o epíteto de “Mestres de Ferreirim”. Extinto em 1834, tendo a sua igreja sido convertida em igreja paroquial, as dependências monásticas foram vendidas em hasta pública e parcialmente desmanteladas ou caídas em ruína. Classificado como Imóvel de Interesse desde 1944, em 2001-2005 a igreja e seu recheio foram sujeitos a restauro integral.

Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 33 587, DG, I Série, n.º 63, de 27-03-1944″ in www.valedovarosa.pt

Galeria fotográfica do Convento de Ferreirim

 

 

[box type=”info” ]Informação Prática
Período de abertura: Aberto de segunda a sábado das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Aos domingos abre das 14h30 às 18h30.
Período de encerramento: Encerra às segundas.

Para saber mais: Projeto Vale do Varosa (onde se inclui o Convento de Ferreirim)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mosteiro_de_Ferreirim

[/box]

Mapa com pontos de interesse na zona do Douro Vinhateiro

(clicar em “full screen” para ver mapa maior)

 

os meus trilhos
os meus trilhoshttps://osmeustrilhos.pt
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

os meus trilhos
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

Must Read