InícioPortugalGuardaUma viagem às orígens de Vergílio Ferreira

Uma viagem às orígens de Vergílio Ferreira

PortugalGuardaUma viagem às orígens de Vergílio Ferreira

|

|

|

No mês em que se celebra o centenário de um dos maiores vultos da literatura portuguesa, Os Meus Trilhos acompanharam o professor António José Dias de Almeida, numa viagem literária a Gouveia e Melo, uma viagem ao mundo de Vergílio Ferreira, aos seus lugares, às suas coisas, à sua obra…

A iniciativa, de nome “Viagem literária | Em torno “do mundo original” de Vergílio Ferreira”, foi promovida pela Biblioteca Eduardo Lourenço, na Guarda.

vergilio ferreira-32

Panorâmica da aldeia de Melo, local de nascimento de Vergílio Ferreira (concelho de Gouveia)

Durante todo o dia, embalados pela prosa do autor, calcorreámos os lugares e as veredas da sua história. Visitámos os lugares dos seus livros, e, de quando em vez, atrevemo-nos a entrar na sua vida.

Da Guarda, cidade onde Vergilio Ferreira terminou os seus estudos liceais, cortámos as curvas apertadas que descem o vale do Mondego. Sim, esse vale e as aldeias que se ajoelham no sopé, tão bem retratadas no livro a “Manhã Submersa”.

miradouro do mocho real-8

Passamos ao largo de Celorico da Beira e, pela estrada da Beira, metemos em direção a Melo, a sua aldeia.

vergilio ferreira-22

Os visitantes no largo em frente à famosa Casa Amarela, a Vila Josephine, que tanto nos transporta para o universo literário de Vergílio Ferreira

Perdemo-nos por aqui durante horas. Cruzámos as pontes, dos Namorados e do Carril. Fomos aos lugares da sua infância, a sua casa, a da sua tia! Subimos à igreja e descemos ao até ao fim. Juntámo-nos em volta da sua última morada, essa terra fria do seu sossego final!!!

Como ele próprio escreveu um dia: «20-Dezembro (sábado) [1980]. Aviso aos fachos e aos comunas para a hipótese (improvável) de eu vir a esticar: agradeço a especial fineza de me não recuperarem o cadáver. espero que mo instalem em Melo, onde há silêncio e pacificação. É favor não me estragarem o sossego. Disse.» Vergílio Ferreira, In Conta-corrente 3

Não esquecer: para assinalar o centenário do seu nascimento (28 de janeiro), muitas são as iniciativas que terão lugar pelo distrito da Guarda, com destaque, claro está, para vila de Gouveia. Sendo o programa seja extenso (consultar aqui) , há vários motivos de regozijo. Desde logo, são várias as exposições que terão lugar, os colóquios, a reposição do busto na praça central de Gouveia e a reedição das obras do autor pela Qetzal.

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço vai continuar os passeios vergilianos. Desta vez a incursão será pela Guarda, no dia 30 de janeiro, às 11h00.

Havemos de voltar a Melo e a Gouveia, havemos de dedicar todas as linhas que este escritor merece. Havemos de voltar a calcorrear os seus caminhos e veredas…

Algumas das fotos dessa viagem pelo mundo de Vergílio Ferreira…

os meus trilhos
os meus trilhoshttps://osmeustrilhos.pt
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

os meus trilhos
Somos uma família apaixonada… apaixonada pelo mundo e pelas viagens, sejam elas curtas ou longas. Mas a maior das viagem começou há pouco, quando à equipa se juntou o pequeno Simão. Durante uma parte do ano vestimos as capas de dois burocratas do funcionalismo público, na outra, metemos a mochila às costas, pegamos no Simão, e vamos por aí… ver com outros olhos, conhecer o mundo, conhecendo-nos cada vez mais a nós próprios. Adoramos grandes aventuras por lugares longínquos, mas também gostamos de pegar no carro e andar por aí, sem destino. E porque a viagem não acaba nunca, como dizia Saramago, depois da viagem passamos tudo para aqui: textos, fotos, vivência, enfim… a nossa viagem! Um pouco de tudo num blog que é da Guarda para o mundo! Tudo sobre nós >>>

Must Read